Anuncios

terça-feira, 7 de outubro de 2014

Importação e Exportação - Um bicho de 7 Cabeças?

Já pensou em Exportar seus produtos? Ou mesmo Importar equipamentos ou máquinas?

Quando se fala em comércio exterior, ou mesmo importação/exportação, muitos pensam ser um bicho de 7 cabeças, mas não é! Claro que é mais complexo que negociar com empresas locais, ou seja, no mercado interno.. Mas a cada dia mais e mais empresas de pequeno porte e microempresas estão se "aventurando" no comércio internacional.
Porém ao aventurar-se, deve-se primeiramente conhecer o seu produto, se realmente possui um diferencial para competir lá fora, ou mesmo em se tratando de uma "commoditie", uma matéria prima que possui o preço e o volume como diferencial.
Talvez seja o caso de estar precisando de um equipamento, ou máquina, e precise importá-lo.
De qualquer forma é preciso procurar empresas sérias para auxiliá-lo nos trâmites, documentações e despachos, bem como na logística adequada.

Se quiser saber mais, pergunte-nos. Trabalhamos com empresa que está a 15 anos no mercado, com seriedade, rapidez e profissionalismo, atendendo a clientes em todo o Brasil, e possui representação na China, com escritório em Taiwan.

Contato: thannar@resinbraz.com.br





A CNA lança o I Encontro da Cadeia Produtiva de Base Florestal

A CNA (Confederação da Agricultura e Pecuária) do Brasil lançou nesta semana durante o I Encontro da Cadeia Produtiva de Base Florestal, uma iniciativa voltada para a silvicultura em âmbito nacional, o Programa Mais Árvores.
 
O objetivo é aplicar as diretrizes do programa em todas as regiões produtoras de florestas, fornecendo ao produtor rural todas as informações necessárias sobre mercado, plantio e manejo florestal, tanto para quem quiser investir no segmento como atividade alternativa na propriedade, como para os que pretendem fazer da silvicultura sua principal fonte de renda.

Os produtores interessados em aderir ao programa, assim como cooperativas e empresas, poderão procurar as federações estaduais de agricultura e pecuária ou os sindicatos rurais para obter as informações necessárias.

A iniciativa também vale para cooperativas e empresas. “É a melhor alternativa técnica e financeira para os programas de fomento florestal de cooperativas, empresas, e produtores rurais independentes que possuem limitações de produção e produtividade, e queiram diversificar a produção na propriedade”, explica a assessora técnica da Comissão Nacional de Silvicultura e Agrossilvicultura da CNA, Camila Braga.

Fonte: Portal Idest / Adaptado por CeluloseOnline

domingo, 28 de setembro de 2014

Ramos de pinheiros transformam-se em eficientes Sistemas de Filtração da água

Ramos de pinheiros transformam-se em eficientes Sistemas de Filtração da água.


Crédito de imagem: Thinkstock.com
Lawrence LeBlond para redOrbit.com - Your Universe Online
A próxima vez que você encontrar-se perdido na mata sem água limpa ou potável, o pinheiro mais próximo pode salvar sua vida. Enquanto lagos ou lagoas podem fornecer água e algum alívio a curto prazo para a desidratação, quando na natureza, essas fontes de água nem sempre estão limpas.
Este é o lugar onde o pinheiro entra em jogo. Derramando água do lago por meio de um galho de pinheiro recém-descascado pode efetivamente eliminar a maioria das bactérias que possam existir na água, deixando-o com uma fonte limpa e fresca de H 2 O.
Este processo é tão eficaz que pesquisadores do MIT, publicaram um artigo na revista PLOS ONE no dia 26 de fevereiro, constataram que o sistema de filtração de baixa tecnologia pode produzir até quatro litros de água potável por dia.
A equipe de pesquisa demonstrou que um pequeno pedaço de alburno pode filtrar 99 por cento da bactéria E. coli da água. Este alburno, que contém tecido xilema que ajuda o transporte da seiva para cima através da árvore, tem poros que permitem a passagem da água, mas filtra a maioria das bactérias através deles.
Rohit Karnik, um professor associado de engenharia mecânica na MIT , diz que este alburno é um material eficiente para filtragem de água de baixo custo e pode percorrer um longo caminho no sentido de ajudar as comunidades rurais, onde os sistemas de filtragem avançadas podem não ser acessíveis.
"Membranas de filtração de hoje, têm poros em nanoescala que não são algo que você pode fabricar em uma garagem muito facilmente", disse Karnik, um dos co-autores do estudo. "A idéia aqui é que nós não precisamos fabricar uma membrana, pois é facilmente disponível. Você pode simplesmente pegar um pedaço de madeira e fazer um filtro. "
Este sistema de alburno também não tem os inconvenientes que vêm com outros sistemas de filtração mais avançados. Filtros baseados em Cloro funcionam bem, mas podem ser caros; água fervente também depende de combustíveis caros para aquecer a água; filtros baseados em membrana também são caros e requerem uma bomba e facilmente ficam obstruídos.
A rede de xilema em pinheiros consiste em um sistema de vasos e poros, ajudando a mover a seiva das raízes para a copa da árvore. Cada parede do vaso é salpicada de pequenos poros chamados membranas poço, através do qual a seiva pode fluir de um vaso para a próxima vez que alimenta a árvore. Esses poros também limitam a cavitação - um processo pelo qual as bolhas de ar podem crescer e se espalhar no xilema, levando à morte da árvore. Os poros do xilema, realmente prendem as bolhas, impedindo-as de espalhar por toda a árvore.
"As plantas tiveram que descobrir como filtrar as bolhas, mas permitir fácil fluxo de seiva," Karnik observou. "É o mesmo problema com filtragem de água para onde queremos filtrar os micróbios, mas manter uma taxa de fluxo elevada. Então é uma boa coincidência que os problemas são semelhantes. "
Para o estudo, a equipe coletou ramos de pinheiro branco e tirou a casca exterior. Eles cortaram pequenas seções de alburno medindo cerca de uma polegada e meia de largura e, em seguida, montado em cada tubo de plástico, vedado com epóxi e presa com braçadeiras.
A equipe usou primeiro a água tingida com partículas de tinta vermelha que variam de 70 a 500 nanômetros de tamanho. Uma vez que a água é filtrada através do sistema, a equipe abre o filtro do alburno longitudinalmente e observou-se que a maior parte do corante vermelho estava contido dentro das camadas muito superiores da madeira. A água filtrada, que passou com facilidade, estava livre de quaisquer corantes vermelhos e cristalina. Esta experiência mostrou que o alburno é naturalmente capaz de filtrar quaisquer partículas maiores do que 70 nanômetros de tamanho.
Numa experiência diferente, a equipe verificou que o alburno é incapaz de filtrar partículas de 20 nanômetros de tamanho ou menores, sugerindo que há um limite para o tamanho de partículas que o alburno pode filtrar naturalmente.
Em um terceiro experimento, a equipe usou água contamidada com E. coli inativada. Após o vazamento da água contaminada através do sistema de filtração de alburno, a equipe examinou o xilema sob um microscópio de fluorescência, notando que as bactérias tinham acumulado em torno do poço de membranas, dentro dos primeiros poucos milímetros da madeira. Através de seus cálculos, eles determinaram que o alburno foi capaz de filtrar mais de 99 por cento do E. coli da água.
Com base nestes resultados, Karnik acredita que o alburno pode filtrar a maioria dos tipos de bactérias - as menores bactérias medem cerca de 200 nanômetros. Ele disse que é improvável que a técnica de filtração não possa interceptar a maioria dos vírus, como a maioria deles são muito menores em tamanho.
Ele disse que sua equipe agora pretende experimentar com outros tipos de alburno para ver se o sistema de filtração da natureza existe em outras árvores também. Árvores floridas geralmente têm poros menores do que árvores coníferas, sugerindo que elas podem ser capazes de filtrar as bactérias menores e possivelmente vírus. No entanto, os vasos em árvores floridas são muito mais longos, o que poderia arruinar suas chances de ser sistemas de filtração viáveis.
Outra questão fundamental é que o alburno precisaria permanecer úmido, a fim de ser usado de forma eficaz. Uma vez que o alburno seca, ele racha e não consegue filtrar corretamente os contaminantes da água.
"Há grande variação entre as plantas", disse Karnik em um comunicado. "Poderia haver muito mais plantas lá fora, que são adequadas para este processo. Idealmente, um filtro seria uma fatia fina de madeira que você pode usar por alguns dias, em seguida, jogá-lo fora e substituir quase sem nenhum custo. É ordens de magnitude mais barato do que as membranas de alta qualidade no mercado hoje. "
A pesquisa de Karnik foi financiado pelo Fundo James H. Ferry Jr. de Inovação em Educação e Pesquisa. Seus co-autores incluem Michael Boutilier e Jongho Lee do MIT, Valerie Chambers, da Fletcher-Maynard Academy, em Cambridge, Mass., E Varsha Venkatesh da Jericó High School, em Jericó, NY
Imagens abaixo:. (Primeira Foto) A imagem do microscópio eletrônico de cores falsas mostrando as bacterias E. coli (verde) presas após a filtração por membranas do xilema, no alburno após a filtração (vermelho e azul) 
(Segunda Foto) Os pesquisadores projetaram um filtro simples descascando a casca, uma pequena parte do pinho branco, em seguida, inserindo e prendendo-o dentro de um tubo de plástico. Créditos: R. Karnik / m. Boutilier / J. Lee / V. Chambers / V. Venkatesh



Fonte: Lawrence LeBlond para redOrbit.com - Your Universe Online

Read more at http://www.redorbit.com/news/science/pine-trees


sexta-feira, 26 de setembro de 2014

O Kit do Pinus – 2014 – Por Celso Foelkel

O pesquisador Celso Foelkel, um dos maiores estudiosos das florestas e utilizações dos Eucalyptus e dos Pinus, que disponibiliza mensalmente os informativos especializados, Eucalyptus Online Book, e PinusLetter, lança “O Kit do Pinus – 2014“!
Uma coletânea de fontes de informações sobre o Pinus, com centenas de referências e links sobre os mais diversos assuntos relacionados ao gênero Pinus.
Desde assuntos sobre silvicultura, manejo florestal, usos múltiplos, desrama e desbaste, pragas e doenças, resinas e resinagem, integração lavoura-pecuária-floresta,  qualidade da madeira, entre outros diversos assuntos.
Para quem se interessa pelo tema, pretende iniciar na atividade florestal, realizar pesquisas e buscar conhecimentos.. Vale a pena conferir!
Com satisfação o site Clube da Resina, está entre as referências relacionadas à resina e resinagem.
Para acessar o “Kit do Pinus – 2014 por Celso FoelkelClique neste LINK

Acesse também:
www.celso-foelkel.com.br/pinusletter.html
www.eucalyptus.com.br

Novos projetos florestais financiados pelo Programa ABC – Agricultura de Baixo Carbono

O produtor rural e florestal, tem a possibilidade de investir em novas florestas, utilizando recursos financiados pelo Programa ABC – Agricultura de Baixo Carbono, do Banco do Brasil.
Projetos de plantio de florestas em sistemas agrossilvipastoris, que integram a lavoura, a silvicultura e a pecuária em pequenas e médias propriedades, são financiados pelo programa, que pode ainda conter a resinagem em florestas de pinus como forma de melhorar a renda do produtor.
Segue a descrição do programa, fonte Banco do Brasil:

ABC - Agricultura de Baixo Carbono
A linha de crédito, ABC – Agricultura de Baixo Carbono, tem como objetivo incentivar a adoção de técnicas agrícolas sustentáveis que contribuam para a redução das emissões de gases de efeito estufa e ajudem na preservação dos recursos naturais.São seis as iniciativas, apoiadas pelo ABC, que visam contribuir para a preservação do meio ambiente e para a sustentabilidade da produção agropecuária:
 
• Plantio direto na palha;
• Recuperação de pastos degradados;
• Integração lavoura-pecuária-floresta;
• Plantio de florestas comerciais;
• Fixação biológica de nitrogênio;
• Tratamento de resíduos animais.

Beneficiários
Produtores rurais, pessoas físicas ou jurídicas, e suas cooperativas.

Valor Financiável
Até R$ 1 milhão por beneficiário, por safra.

Limite de Financiamento
Até 100% do valor do investimento.

Encargos
5% ao ano.

Prazos

Projetos Prazos
Implantação de viveiros de mudas florestais Até 5 anos com até 2 anos de carência 
Implantação de sistema de integração lavoura-pecuária-floresta Até 8 anos* com até 3 anos de carência
Agricultura orgânica e recuperação de pastagens Até 8 anos com até 3 anos de carência        
Implantação e manutenção de florestas de dendezeiro Até 12 anos com até 6 anos de carência
Implantação e manutenção de florestas comerciais Até 12 anos com até 8 anos de carência
Manutenção de área de preservação permanente ou de reserva legal Até 15 anos com até 1 ano de carência
* O prazo pode ser estendido a até 12 anos quando a componente florestal estiver presente.

Sementes e Mudas de Pinus para Alta produção de Resina

O reflorestamento com espécies exóticas, principalmente o gênero pinus, é uma atividade de médio e longo prazo e pode ser integrada com outras atividades, sejam elas agrícolas e/ou pecuárias, para melhorar o rendimento financeiro da propriedade, e a resinagem é uma alternativa viável para tal.. Mas para isso é preciso: PACIÊNCIA.
Mas além de paciência outros fatores são importantes, além de uma boa terra, uma boa equipe, uma boa gestão, além de possuir conhecimento…
…É preciso investir em sementes e mudas de qualidade, como diz o ditado: “Não se pode mudar os frutos, se primeiro você não mudar as raízes”..
É possível encontrar atualmente, sementes e mudas de pinus elliottii var. elliottii de alta produção de resina, formadas de matrizes selecionadas em povoamentos clonais, com características superiores de produção de resina.
A realização de testes em parcelas experimentais mostraram produtividade de goma resina acima de 6kg/face.
Com mudas de qualidade e procedência, assessoria técnica especializada e novas idéias, os produtores poderão maximizar os rendimentos de suas propriedades e florestas.

Para maiores informações sobre como adquirir as mudas e sementes para alta produção de resina entre em contato:

thannar@resinbraz.com.br

quarta-feira, 23 de abril de 2014

Noticia: VILHENA EXPORTA PRIMEIRA CARGA DE RESINA DE PÍNUS PARA O EXTERIOR


VILHENA EXPORTA PRIMEIRA CARGA DE RESINA DE PÍNUS PARA O EXTERIOR

Noticia postada no site Rondonia Acontece - Link original - clique aqui


A carga irá para a Holanda onde passará pelo processo de industrialização e de lá será levada para a Rússia. Sendo que é a primeira empresa do estado de Rondônia a exportar resina de pínus. Empresa 100% Vilhenense
Na manhã desta segunda-feira, 29, a equipe do Jornal Rondônia Acontece acompanhou o carregamento da primeira carga de resina de pinos do estado de Rondônia, da fazenda Irmãos Batista ou Reflorestamento Irmãos Batista, localizada na cidade de Vilhena.
Junior Batista, que é um dos responsáveis pela fazenda e pelo reflorestamento falou da felicidade em estar exportando a primeira carga de resina de pínus para o exterior, sendo que à Fazenda e Reflorestamento Irmãos Batista é a primeira do estado de Rondônia.

quinta-feira, 17 de abril de 2014

Noticia: Com o lema “Plantar árvores é um grande negócio”, Rondônia realiza o 2º Seminário sobre Florestas Plantadas no Estado

O objetivo do evento é implementar políticas públicas para o setor florestal, por meio da integração entre os pequenos, médios e grandes empreendedores rurais

 
Nanci Rodrigues é secretária de Desenvolvimento Ambiental em Rondônia
A Secretaria de Estado do Desenvolvimento Ambiental (Sedam) realizará, através da Coordenadoria de Florestas Plantadas e Parceiros no Município de Vilhena (RO), nas datas de 8 e 9 de maio de 2014, o 2º Seminário de Florestas Plantadas com o slogan “Plantar Árvores em Rondônia é um Grande Negócio”. O evento visa implementar as políticas públicas para o setor florestal, promovendo a integração entre os pequenos, médios e grandes empreendedores rurais.

O 1º Seminário de Florestas Plantadas, organizado em 2012, teve como enfoque a apresentação de um novo segmento de mercado estruturado por serviços, empregos e renda, mostrando o Estado de Rondônia como um grande potencial para o cultivo de florestas plantadas. É chegada à hora de fomentar demandas que possam promover o aumento do nível de investimentosno setor florestal rondoniense, fato que vai gerar mais sustentabilidade ambiental, econômica e social.

Em virtude da demanda crescente por energia renovável, da pressão econômica sobre as florestas nativas e da preocupante visão dos países no desenvolvimento econômico ambiental sustentável, além da concretização dos compromissos assumidos para mitigação dos efeitos das mudanças climáticas, o Governo de Rondônia tem como expectativa para o setor o aumento das áreas de florestas plantadas em 75% em três anos a partir deste ano, sendo no 1º ano um crescimento de 15%; no 2º ano, crescimento de 25%; e no 3º ano, crescimento de 35%.

quinta-feira, 6 de março de 2014

Notícia: Réu que recebeu Seguro-Desemprego enquanto mantinha relação trabalhista é condenado por estelionato

Denunciado confessou o recebimento de parcelas do benefício concomitantemente com o vínculo empregatício

Publicado por Anderson Caciano no Portal Contábeis
     
Decisão da 1ª Turma do Tribunal Regional Federal da 3ª Região negou provimento ao recurso do réu e manteve a condenação por estelionato, com base no artigo 171, 3º, do Código Penal, por ter recebido três parcelas de seguro-desemprego mesmo estando empregado.
Em seu recurso, o denunciado alegou ausência de dolo na conduta e erro de proibição, por tratar-se de pessoa simples e humilde.
Na decisão, o relator, juiz federal convocado Márcio Mesquita, destacou que a materialidade e a autoria delitivas foram comprovadas pelos documentos relativos ao requerimento do benefício, declarações prestadas pelo réu e pela testemunha, bem como cópia da Reclamação Trabalhista, na qual foi reconhecido o vínculo empregatício do réu com a empresa.
O magistrado afirmou também que não prospera a alegação da defesa no sentido de que o réu desconhecia que não era permitido o recebimento cumulativo do seguro-desemprego com a percepção de remuneração salarial, pois, mesmo tendo recebido fraudulentamente o seguro-desemprego, omitindo o vínculo empregatício, foi pedir o seu reconhecimento na Justiça do Trabalho, ocasião em que a fraude veio à tona. Concluiu, portanto, que o réu tinha conhecimento da ilicitude do fato.

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

Noticia - Revisão melhora negócios

Revisão melhora negócios

A aprovação da quinta revisão da Lei Geral das Micro e Pequenas Empresas pode ser um avanço fundamental para otimizar o cotidiano dos negócios do País

Postado no Portal Contábeis por Josefina do Nascimento Pinto

A aprovação da quinta revisão da Lei Geral das Micro e Pequenas Empresas pode ser um avanço fundamental para otimizar o cotidiano dos negócios do País, além de atender a antigas reivindicações do setor.
Pelos números oficiais são oito milhões de micro e pequenas empresas (MPE) e 3,8 milhões de microempreendedores individuais (MEI) que aguardam melhorias estratégicas para abrir e manter suas atividades, com menos burocracia e ambiente mais propício.
Segundo o ministro da Micro e Pequena Empresa, Guilherme Afif Domingos, em entrevista exclusiva ao DCI, a previsão é que o texto com as alterações seja aprovado ainda neste semestre. Afif Domingos já tem encontro agendado com o presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), o relator Cláudio Puty (PT-PA) e todos os líderes partidários para estabelecer a agenda positiva com foco na aprovação da revisão.

PagSeguro UOL

Video sobre resineiros em Portugal